Em 1977, mais especificamente no dia 25 de maio, lançava nos cinemas o filme Star Wars, que inicialmente sequer tinha o subtítulo de Uma Nova Esperança ou era considerado o Episódio IV.
A saga de Luke Skywalker contra o Império e seu líder, Darth Vader, iniciou não só um novo universo na ficção, mas também a era dos blockbusters na vida real, além de influências em diversas áreas. Com o sucesso, vieram continuações, prelúdios e outros derivados e, hoje, a franquia conta com filmes no cinema e na tv, séries animadas, paródias, livros, quadrinhos, brinquedos, entre outros produtos e mídias.
Como STAR WARS influenciou o mundo após 1977

Resumindo o longa, em Uma Nova Esperança a princesa Leia é sequestrada pelo temível Darth Vader, que a acusa de conspirar contra o Império Galático, fazer parte da Aliança Rebelde e roubar dados da Estrela da Morte, uma estação espacial colossal capaz de destruir planetas com um longo tiro.
Leia então esconde os dados no droide R2D2, que, junto com C3PO, vão parar em Tatooine, onde um jovem rapaz de bem com a vida chamado Luke Skywalker compra os robôs, após eles serem capturados para venda. Luke acaba por descobrir esses dados numa mensagem destinada a Obi-Wan Kenobi, um velho misterioso que mora nas montanhas. A história passa, Obi-Wan, conhecido como Ben por Luke, fica sabendo da situação, acontecem umas coisas, desgraças e pronto, estão todos no espaçoporto pra sair dali e ajudar Leia. Lá eles conhecem o mercenário Han Solo (que atirou primeiro) e seu parceiro Chewbacca, que decidem ajudar. Dentro da majestosa Millennium Falcon, eles partem para Alderaan. Enquanto isso, Ben ensina a Luke sobre a Força e os Jedi. Infelizmente Alderaan é destruída pela Estrela da Morte e a Millennium vai parar dentro da própria Estrela. Aproveitando que já estão lá de vez, todo mundo vai salvar a princesa, mas Ben vai enfrentar Vader e acaba morrendo na batalha. O restante consegue fugir com Leia. Com os planos em mãos, os rebeldes descobrem que dá para explodir a Estrela da Morte acertando num pequeno buraco em meio a toda aquela construção. Apesar dos pilotos experientes, é Luke quem acerta o alvo, explodindo tudo. Vader escapa em sua navezinha. Leia condecora os agora heróis e tudo termina feliz, por mais que a guerra continue. Hora de comemorar aquela grande vitória. E fim.

Mas… E se Luke não tivesse acertado o alvo? E se o tiro tivesse falhado? E se a Estrela da Morte continuasse inteira? Como seria toda a trama a partir dali? Assim como o roteiro final de Star Wars foi fruto de diversas mudanças (diversas mesmo, dava para criar outro filme bem diferente), questões sobre a franquia indagavam sobre como tudo poderia ter sido diferente. Fanfics e pensamentos de fãs surgiram durante as décadas, até que, oficialmente, lá no ano de 2001, quando a franquia cursava nos cinemas seu prelúdio divisor de galáxias, eis que iniciavam nos quadrinhos ‘Star Wars Infinities’. Cada filme da trilogia antiga estava ganhando uma história do tipo “O que aconteceria se…?”, assim como a Marvel fazia com seus personagens. O primeiro a sair foi, obviamente, Uma Nova Esperança.

Luke, Han Solo, Chewbacca, R2-D2 e C-3PO são condecorados pela Princesa Leia © Lucasfilm/Disney

Mas antes de adentrar a versão da HQ, vamos nos atentar a outras possibilidades para caso a missão tivesse falhado. Uma delas é simples: Outra pessoa poderia ter explodido a Estrela. Mas vamos além: A Aliança Rebelde poderia acabar, já que todos seriam exterminados, e Vader sairia vencedor, prosseguindo com seu Império. Mas isso seria a vitória definitiva dele? Provavelmente não. Primeiro que outros rebeldes poderiam surgir ao longo do tempo. Segundo que a relação de Vader e Palpatine sempre foi conflituosa, o que poderia gerar um rumo interessante para a trama pessoal do vilão, com Vader sendo descartado ou até mesmo se rebelando. Nesse caso, Vader poderia matar Palpatine e se tornar o grande “chefão” ou buscar uma forma de se redimir de todo o mal que fez. As possibilidades são muitas.
E Luke? O que poderia acontecer com ele? Ora, Luke poderia aceitar a oferta de Vader e se tornar um sith. Eles poderiam comandar juntos o império, se rebelar ou não contra Palpatine ou até mesmo um contra o outro, etc. Luke poderia também querer matar Vader por ter matado sua mãe caso descobrisse a verdade. Ou, voltando tudo, Luke poderia ter acertado Vader lá na batalha no espaço. Como disse, as possibilidades são muitas.

Mas o que a hq diz sobre esse lado alternativo da história? Algo diferente disso tudo, seguindo parte do molde da trama do filme. Na história, durante a batalha dos rebeldes contra o Império, Luke chega a acertar o buraco da estação, mas um dos mísseis explode antes de chegar ao final, estragando todo o plano. Apesar da decepção, os pilotos elogiam Luke pela tentativa, dizendo que isso acontece. Ou seja, todos ali já estavam meio que “acostumados” com os planos darem errado (afinal, eles ainda estavam lutando, sem desistir) e o que ocorreu no filme foi sorte (roteiro).
Com os rebeldes recuando, o Império aproveita para atacar, capturando Leia e C3PO e matando a maior parte dos rebeldes. Apenas Luke, R2D2, Han e Chewie sobrevivem. Para eles, Leia havia morrido.
Acontece que o tiro da Estrela da Morte não possuía energia suficiente para destruir um planeta inteiro naquele momento. Tarkin chega a ficar furioso e manda tirarem energia do suporte de vida, caso necessário.
O segundo tiro destrói o planeta, mas não antes de Leia e outros rebeldes saírem a salvo.
Luke fica irado e destrói vários Tie-Fighters, deixando o ódio tomar conta de si.

E é aí que o diálogo entre Luke e o fantasma de Obi-Wan acontece. Obi-Wan diz para Luke não se entregar ao ódio, lembrando-o que seu destino está em outro lugar. A resposta é o pantanoso Dagobah. Enquanto isso, Leia e os rebeldes são capturados e recebidos pessoalmente por Darth Vader.

A bordo da Millennium Falcon, Luke e Solo tem uma discussão, já que Luke deseja encontrar uma forma de derrotar o Império e Han quer continuar vivo. Luke parte para cima de Han e o ameaça com seu sabre de luz, até que o fantasma de Obi-Wan reaparece, lembrando Luke que ele não deve deixar a ira tomar conta de si.

No fim, eles vão para Dagobah a pedido do fantasma de Obi-Wan, que vive conversando com Luke durante a história. Lá descobrem Yoda, que deseja treinar Luke a ser um jedi. A diferença da HQ para o Episódio V é que Yoda sente em Luke o lado sombrio latente, e deseja garantir que Luke não acabe caindo em tentação. Leia, por outro lado, começa a ser tentada por Darth Vader e pelo Imperador.
O tempo passa, Han e Chewie decidem ir embora, enquanto Luke continua treinando. Enquanto isso, Vader começa a influenciar Leia para uma união entre os dois, ao mostrá-la que a Força reside dentro dela e que ela pode se tornar mais poderosa do que imagina, se aliando ao Império e, consequentemente, trazendo o fim da guerra. E é isso que acontece: Leia, tentada pelo poder e sem ter para onde ir, vai para o lado do Império – com o sabre de Obi-Wan Kenobi.
Todo o diálogo de Vader e Leia coloca, de forma subliminar, Leia como uma peça para Vader derrubar o Imperador.
Toda a cena da caverna em Dagobah é idêntica à do filme, exceto pelo fato de que quando Luke corta a cabeça de Vader, o capacete mostra o rosto de Leia.

Cinco anos se passam desde o fim da Aliança Rebelde, até que Han vê Leia, agora senadora do Império, em Coruscant, durante uma marcha em comemoração pelo fim da rebelião e pelos anos de paz que se sucederam. Perseguidos pelos Stormtroopers, ele foge com Chewie de volta para Dagobah e conta tudo o que está acontecendo. Luke agora já é um cavaleiro jedi, o último, na verdade. Yoda revela a ele que Vader (Anakin) é seu pai e que Leia é sua irmã. Luke precisará deter sua própria família.
Enquanto Palpatine alfineta Vader, algo que ocorre durante toda a história, o resto da rebelião se une na Millennium e vão para a Estrela da Morte para colocar um fim de uma vez por todas no Império. Chegando lá, Yoda mostra sua experiência mexendo com a mente dos Stormtroopers e funcionários da estação, limpando o caminho. Luke e Han enfrentam alguns inimigos e acabam por encontrar C3PO, até que são surpreendidos por Leia, Vader e Palpatine. C3PO, com a mente alterada, faz Han de refém. Depois de colocar a conversa em dia, até por terem se passado anos, Luke revela a Leia que ela é sua irmã e Vader fica surpreso ao descobrir que tinha uma filha (ele já havia descoberto sobre Luke, claro). Palpatine usa o momento para provocar (novamente) Vader, enquanto Luke e Leia começam a brigar.
 
Mas enquanto o Casos de Família está rolando, do outro lado da estação Yoda e R2D2 estão juntos planejando altas explosões. De repente um enorme tiroteio espacial se inicia e tudo começa a explodir. Yoda havia mexido com a mente de todo o Império e as naves começaram a se atacar. Luke continua lutando para Leia voltar a ser o que era e Vader começa a refletir sobre tudo aquilo que estava acontecendo. Vader e Leia haviam criado um vínculo desde sua união, trouxeram “paz” para a Galáxia. Quando a família Skywalker começa a se unir novamente, Palpatine ataca Luke e Leia, mas Vader intervém e acaba perdendo a batalha.

Tempo suficiente para os outros fugirem. Yoda conversa com o Palpatine através de uma tela, ganhando tempo para todos entrarem na Millennium Falcon e meterem o pé. Yoda então desaba a Estrela da Morte e todos que ficaram morrem. Em Naboo, os agora heróis sobreviventes são condecorados pela princesa Leia, agora chanceler da Nova República. R2D2 é restaurado. C3PO volta ao seu estado normal. Era o fim do Império e o início de um novo período de paz.

Obviamente, uma história alternativa deve ter material para se sustentar. Não basta apenas uma ideia, é necessário também seu desenvolvimento. Optaram por seguir um modelo de história “aventuresco”, assim como o filme foi, buscando elementos das duas continuações seguintes, O Império Contra-Ataca e O Retorno de Jedi. A série pode ser considerada como um “E se?” ou como algoque aconteceu em algum universo paralelo. As possibilidades são INFINITAS.