YEEEEEES! Feliz Dia Internacional do Orgulho Geek (ou Nerd, se preferir)! Agora que você já sabe que a data é INTERNACIONAL, deve estar se perguntando o real motivo de a data ter sido escolhida para uma comemoração tão especial, ainda que incomum.
Mas por que incomum? Hoje em dia é normal alguém ser nerd/geek assumidamente, já que a Cultura Pop é fortemente influenciada por conteúdo nerd. É incrível como, em menos de dez anos, os termos Nerd e Geek se popularizaram, de forma a desinibir quem já curtia o tema e criar o interesse nas novas gerações, sem aquela problematização toda por parte da sociedade, criticando o teor “infantil” dos gostos alheios.
Se você, assim como eu, nasceu nos anos 90, deve saber que curtir quadrinhos, desenhos animados e super-heróis era um bom motivo para sofrer piadas na escola. Passar dos dez anos de idade comprando quadrinhos, bonecos e roupas com os heróis preferidos estampados causava certa preocupação nos pais, que questionavam quando a criança “ia crescer”. Pois bem, as coisas mudaram.
Ser Geek é a nova moda, seja para alegria de uns ou tristeza de outros. O mais legal disso é que podemos nos relacionar com cada vez mais pessoas como nós, conhecer amigos para a vida toda, amores, conseguir trabalhar com o que gostamos e dedicar-se, sem medo, às paixões e vícios que todo bom Geek possui. Aproveite, seus pais e avós, ainda que gostassem de um ou outro personagem, não puderam aproveitar a invasão dos heróis no cinema, tv e videogames, com tantos produtos de qualidade. Afinal, até meados de 1999, antes da bombástica estreia de X-MEN nos cinemas, as referências eram os filmes do Superman com Christopher Reeve, o Batman de Michael Keaton e o terrível, desastroso e vergonhoso Batman de Joel Schumacher – que colaborou para a morte dos heróis nos cinemas.

MAS É DIA DO ORGULHO NERD OU DO ORGULHO GEEK?

Em 2006, após o advento dos heróis nas mais diversas mídias, mas ainda antes da era dos heróis se estabelecer definitivamente com a trilogia do Batman de Christopher Nolan e da estreia do Marvel Studios, foi criado o Dia del Orgullo Friki, na Espanha. O evento original foi organizado pelo blogueiro espanhol Señor Buebo. A palavra Friki vem do inglês Freak,que significa aberração em tradução livre. E por mais que o nome pareça um pouco aversivo, o evento se popularizou e se espalhou pelo planeta, com uma ajudinha da Internet.
A escolha do termo foi baseada em alguns pontos-chave: as roupas incomuns, geralmente estampando personagens ou emulando as vestimentas dos mesmos, quase como um cosplay, vícios e hobbies menos populares, como certos jogos, filmes, séries, livros e quadrinhos.

DE FREAK PARA NERD E GEEK

Se Freak é uma palavra muito pejorativa para ser comemorada, não se preocupe. Os termos que se popularizaram foram Nerd e Geek, duas coisas que são conhecidas como “a mesma coisa”, mas que podem representar tipos de indivíduos diferentes. Se você perguntar para qualquer pessoa a diferença entre os termos, provavelmente ouvirá que ser Geek é cool e Nerd é uma coisa mais antiga, mais oldschool. Em suma, ser Geek é legal.

Acontece que, na verdade, segundo a Wikipédia, ser Geek geralmente significa pertencer a um grupo bem específico de fãs, ou conjuntos de grupos de fãs de algum produto.
Por exemplo: curtir os livros de Tolkien, George R.R. Martin, gostar dos oito filmes de Star Wars e suas duas séries de TV, além dos games, livros e quadrinhos, entre outros, te torna um Geek, mas não necessariamente um Nerd.
Então o que é um Nerd? Ainda segundo a Wikipédia, o Nerd é uma pessoa com altas qualificações acadêmicas (leia notas) e conhecimentos avançados de informática, como programação por exemplo.
Então, na teoria, ser Geek é QUASE a mesma coisa que ser Nerd, exceto pelo fato de você estar envolvido com diversas marcas, produtos e fãs de alguma coisa, sendo uma pessoa que não perde a nova temporada da sua série favorita, a nova revista em quadrinhos de algum personagem ou editora ou o filme do momento. O Geek geralmente possui conhecimentos em computação e tecnologia, mas não precisam tirar notas altas ou possuir qualificações acadêmicas invejáveis, algo que os Nerds costumam ter.
Na prática, a coisa é diferente. Você não vai perguntar para seus amigos se eles tem boas notas, se são bons com tecnologia ou o que quer que seja. São todos Nerds ou Geeks, o que define isso é a preferência e popularização do termo, seja por fatores regionais ou culturais.

FREAK X GEEK

O Freak é aquela pessoa que possui vícios por qualquer coisa, seja ela Geek ou não, e vive à base disso, falando para tudo e todos o tempo todo sobre o assunto. Geralmente é excluído do grupo de amigos por ser “estranho” e repetitivo.
Então, se eu sou uma pessoa que só sabe falar de esportes e que termina todo e qualquer assunto com o resultado do campeonato que “tá em alta”, eu sou um Freak? Sim, mas a diferença é que o futebol é um assunto amplamente aceito pela sociedade, logo, você não vai ser tão estranho.
E um Otaku, onde entra nisso? Essa é a parte mais interessante. O termo vem perdendo popularidade no Brasil (e com uma boa razão), e o gosto pela cultura oriental vem, lentamente, caindo nas graças das novas gerações. No Japão, o termo Otaku é utilizado para descrever uma pessoa que é absolutamente e exageradamente viciada em QUALQUER COISA. Basicamente, no Japão, Otaku = Freak.
MAS ADORAR ANIME E MANGÁ POR LÁ É NORMAL! Exatamente, assim como ser fanático por futebol é comum aqui. Aspecto cultural.
Você ser fã de anime e mangá no Japão não te torna um Otaku, a menos que isso interfira na sua qualidade de vida. É parte da cultura local gostar de coisas do tipo.
Mas fique tranquilo, como eu disse antes, a cultura oriental se torna cada vez mais popular no país e, por isso, os rótulos pejorativos estão diminuindo. A intenção não é assustar ou afastar os fãs de mangás e animês, mas sim expor que o termo OTAKU é algo que é, muitas vezes, pejorativo.
Concluindo: Freaks são pessoas completamente apaixonadas por seus hobbies, às vezes até o ponto disso interferir em suas relações sociais e profissionais.

Quando o fanatismo atrapalha o seu trabalho, é hora de rever os conceitos.

STAR WARS, O GUIA DO MOCHILEIRO DAS GALÁXIAS E DISCWORLD

Dia 25 de maio foi escolhido como uma data para agraciar os fãs de Star Wars, cujo primeiro filme estreou em 25 de maio de 1977. Fazem 40 anos!

A saga espacial de George Lucas, era um risco altíssimo para a Twentieth Century FOX. Por isso, Lucas decidiu nomear o filme apenas como Star Wars, sem o famoso título de “Episódio IV: Uma Nova Esperança”.
Para você ter uma ideia, o próprio Alec Guinness, o Ben Kenobi, não acreditava que o filme fosse fazer algum sucesso.
Os momentos mais memoráveis de Star Wars no cinema, segundo o Geekable
Com uma base de fãs enorme e crescente, Guerra Nas Estrelas, como se popularizou por aqui na década de 80 e 90, completa seus 40 anos HOJE, com a invejável marca de 8 filmes, além de três em desenvolvimento, um filme animado, duas séries animadas, vários livros e quadrinhos publicados, além do universo Legends, que inclui uma AVALANCHE de material publicado, incluindo livros, quadrinhos e jogos.

Seria impossível citar a data sem mencionar a série literária de Douglas Adams. A série, cujo primeiro volume se chama O Guia do Mochileiro das Galáxias, trata de buscar o sentido da existência, o segredo de tudo.
Confira nosso especial sobre o Dia da Toalha, do Guia do Mochileiro das Galáxias, data também comemorada no dia 25 de maio.
Um marco da ficção científica, o livro aborda tudo de uma maneira leve e divertida, fazendo com que o leitor se delicie no estilo satírico do autor, enquanto adquire diversos conhecimentos, em uma verdadeira viagem espacial.
O primeiro volume da série ganhou um filme em 2005, que inclui diversas mudanças em relação ao material original, mas todas adicionadas pelo próprio Douglas.

Dia do Orgulho Geek
A Terra não é plana, tá?

Discworld é uma série de livros que não dá para não sentir vontade de ler. Antes de Stranger Things brincar com elementos de jogos de RPG e do Capitão América entender a referência, a série de 41 livros, criada por Terry Pratchett, satirizava escritores famosos e jogos de RPG.
C.S. Lewis e J.R.R Tolkien foram inspirações para as sátiras, além de muita coisa pela qual você passa, ou já passou. A vida é parte da piada.
O fantástico mundo de Discworld já ganhou adaptações para a TV. Em 2006, foi lançada Hogfather, minissérie fiel à franquia, e que terminou em 2007. Há também uma minissérie de duas partes chamada The Colour of Magic, que adapta os dois primeiros livros da série.
Por isso, Dia 25 de maio também é o GLORIOSO 25 DE MAIO!
Agora, quando alguém perguntar por que dia 25 de maio é o Dia da Toalha, Glorioso 25 de maio, Dia do Orgulho Nerd ou Dia do Orgulho Geek, você já tem conhecimento de sobra para explicar. Na dúvida, compartilhe!
#GeekalizeSe