Pokémon: Detetive Pikachu

9

É inevitável sentir uma pontinha de vontade de assistir a Pokémon – Detetive Pikachu. Seja pela nostalgia, pela curiosidade ou pela esperança de que, finalmente, possamos ter uma boa adaptação de videogames para as telonas.

O único spoiler que você receberá aqui é: o filme é uma ótima adaptação do jogo Detetive Pikachu, e nesse ponto, não há o que reclamar, mas como um longa-metragem, escorrega só um pouquinho.

Não se engane, o filme não é ruim, é muito bom, de verdade! Seja para os fãs dos monstrinhos de bolso da Nintendo e da GameFreak ou para curtir com a família. O cuidado com as referências foi grande e quem cresceu assistindo ao anime ou jogando os jogos encontrará vários detalhes que fazem um sorriso espontâneo surgir no rosto.

Entretanto, não houve o mesmo cuidado por parte do roteiro. Eu sei, adaptar um videogame é difícil, e Detetive Pikachu ainda faz isso muito bem, talvez por seguir um caminho bastante fácil e clichê para os acontecimentos.

Me arrisco a dizer que, talvez, essa tenha sido a melhor decisão, porque convenhamos: trazer os Pokémon para o mundo real é uma manobra arriscadíssima, que deu muito certo aqui, mas que poderia ter encontrado o mesmo destino do filme do Sonic, que com apenas um trailer e imagens vazadas, está sendo apedrejado pelos fãs do personagem.

Bom, sem detalhar demais o que acontece no filme, temos vários momentos que remetem aos jogos, como batalhas, encontros aleatórios com personagens que viriam a se tornar importantes na trama, laboratórios e organizações suspeitas… Enfim, tudo que se pode esperar de um jogo de Pokémon – exceto a duração.

Sem dúvida alguma, a duração do filme faz tudo acontecer muito rápido e dá aquela sensação de “poxa, queria mais”. As viagens que normalmente seriam conduzidas a pé são normalmente substituídas por trajetos de carro (que rendem uma das cenas mais divertidas do filme), mas que diminuem o potencial de adaptar aqueles encontros com Pokémon selvagens que resultam em batalhas. 

Por outro lado, por conhecer bem a franquia, entendo que não é exatamente o caso de Detetive Pikachu, que se trata de um spin-off investigativo. Mas, o filme claramente faz referência aos jogos principais e até ao anime, o que não justifica a ausência de encontros selvagens.

A estética do filme é sensacional. Temos um ambiente que remete a Tokyo e Hong Kong, mas ao mesmo tempo diferente. Ryme City é uma cidade bastante crível, e provavelmente um dos poucos lugares urbanizados do planeta em que os Pokémon vivem fora das Pokébolas.

Por falar em Pokébolas, esse é um elemento que fez falta no filme. Embora o Ryme City seja “diferente”, não vemos os itens de captura durante a trama.

Henry Jackman mandou muito bem (como sempre) na trilha sonora do filme, que combina orquestra e sintetizadores, utilizando trechos da trilha sonora dos jogos e até mesmo do anime. É um dos elementos mais fortes do filme.

A única canção realmente memorável do filme, entretanto, só chega com os créditos, que são um espetáculo à parte – é a música tema de Pokémon Red e Pokémon Blue, totalmente reimaginada.

Os personagens não são exatamente um sinônimo de carisma. Temos Harry, provavelmente o personagem mais ausente – mas também mais legal. Tirando isso, o Tim de Justice Smith é um personagem bacana, mas nada muito além disso. É provável que vejamos mais dele no futuro e seja melhor explorado. Seus momentos mais interessantes são ao lado de Lucy, interpretada por Kathryn Newton, que protagoniza algumas sequências bem interessantes e tem um potencial futuro tão bom quanto o de Tim.

Os Pokémon realmente são o que fazem o filme valer a pena. Tanto Pikachu quanto Psyduck brilham na tela, e a curta participação de Mr Mime, além da inteligentíssima adição dos Loudred, os pavorosos Greninja, os adoráveis Bulbasaur e o poderoso e temível Mewtwo valem o ingresso.

Ryan Reynolds é espetacular. Às vezes não dá para saber quem é o ator e quem é o Deadpool interpretando o Pikachu, pois até algumas tiradas um pouco ácidas são introduzidas nos diálogos, fazendo tudo ficar ainda mais engraçado.

Pokémon – Detetive Pikachu não é nada demais. É exatamente o que se vendeu: um bom filme dos Pokémon. A entrega de fidelidade, referências, Pokémon carismáticos e ação conquista, e deve render uma sequência ainda melhor. 

Pokémon: Detetive Pikachu
Editor-Chefe, publicitário e baixo demais para ser um Stormtrooper. Amo escrever Geekalizando e outros textos para a web e arriscar alguns roteiros, principalmente de drama, fantasia e horror.