Uma das séries mais influentes no meio nerd, com certeza é The Big Bang Theory (traduzido como “Big Bang: A Teoria” no Brasil). Quem nunca ouviu o jargão Bazinga! do Sheldon? Seja durante uma conversa ou em alguma camiseta; essa palavra está estampada em tudo quanto é lugar hoje em dia (inclusive, uma abelha brasileira, descoberta recentemente, recebeu o nome Euglossa bazinga, em homenagem a série).

Mas, como tudo o que cai na internet, o sucesso da série causou grande alvoroço.

A série, que foi lançada em 2007, pela CBS, conta a história de quatro nerds, os físicos Dr. Sheldon Cooper (Jim Parsons) e Dr. Leonard Hofstader (Johnny Galecki), o astrofísico Dr. Rajesh Koothrappali (Kunal Nayyar) e do engenheiro Sr. Howard Wolowitz (Simon Helberg), que têm a sua vida drasticamente mudada quando uma atraente garçonete, Penny (Kaley Cuoco) se torna vizinha de Leonard e Sheldon.

Pelo seu viés nerd, misturado com bom humor e mundo pop, ela alcançou o sucesso rapidamente, mostrando que ser nerd não é algo ruim, pelo contrário, é ótimo, pois os nerds dominarão o futuro.
Mas é justamente aí que reside o problema, meus caros geeks: a série arrematou milhares de fãs que se denominaram nerds, somente por assistirem a série e saberem o que significa Bazinga!

Quantas vezes você não viu o seguinte diálogo:
“Oi, você é nerd?”
“Sou sim, bazinga! (risos)”

Calma lá! Não estou dizendo que nerds não assistem The Big Bang Theory (eu mesmo assisto e gosto muito!), o que eu quero dizer é que isso acabou trazendo ao mundo uma geração de… Como eu poderia dizer… Nerds que não são tão nerds assim.

Isso não é ruim, pelo contrário, quanto mais “nerds” há no mundo, mais produtos nerds serão produzidos e lançados. Nós só temos a ganhar com isso (o mesmo argumento eu uso quando algum fã ‘old school’ de Star Wars critica a onda de fãs modinhas que surgiram com o novo filme).
Além do mais, a imagem estereotipada do nerd foi deixada de lado, sendo substituída pela imagem do cara legal, com um papo bacana e bom gosto (afinal, quem, hoje, não gosta de Star Wars, O Senhor dos Anéis e super-heróis? Pode ser modinha, mas é o que bomba no cinema).
Como diz o slogan da série: “Smart is the new sexy” (O inteligente é o novo sexy).

Então, se você é o tipo de pessoa que diz: “Hurr Durr… The Big Bang Theory não é uma série nerd”, “Hurr Durr, você é modinha porque virou nerd só agora. Sou muito mais nerd que você”. Só pare com isso

Pare com esse sentimento de exclusividade, achando que o mundo nerd foi feito só para você e comece a aceitar os novos adeptos do “nerdismo”. Se alguém chega a você e diz “Sou nerd por causa de TBBT”, veja como uma oportunidade de ser uma boa influência à pessoa e recomende filmes, séries, hqs e livros. Traga essa pessoa para o Lado Nerd da força para que ela também possa desfrutar desse mundo, tanto quanto você, mas não a afaste. Ela pode ser seu (a) futuro (a) amigo (a) nerd… Ou aquele sem noção que vai botar música no último, num domingo, às 16h, na frente da sua casa, te atrapalhando enquanto você tenta assistir Domingo Legal. Pense bem…

TBBT ajudou a nós, nerds, nos encaixarmos com mais facilidade na sociedade, fazendo com que nos tornássemos tão populares quanto sempre quisemos. Aliás, eu ouso dizer que ela deve ter, de alguma forma, diminuído o bullying nos colégios americanos (calma, é só uma suposição, não existe fundamento nenhum. Segura esse dedinho aí, HATER).

Então, ao invés de vê-la como uma inimiga, vamos começar a vê-la uma aliada nerd contra um mundo sem cultura…