7 Desejos | Crítica

7 Desejos (Wish Upon) é um típico terror adolescente, onde cenas básicas de “amor
juvenil” e “desejos e dramas colegiais” integram a temática e narrativa do filme. Isso proporciona coisas óbvias e clichês, já exploradas em séries e muitos outros filmes. O diferencial está em utilizar elementos de uma cultura pouco abordada no gênero, através de um artefato chinês.

O filme também não inova ao abordar a vida de uma americana de classe baixa e impopular na escola. Porém, o filme mistura esse “teen world” com elementos místicos – quando uma misteriosa caixa chinesa aparece. Essa “caixa” teria o poder de conceder desejos (como sugere o título do filme), e cobraria algo em troca deles. Eis a parte que a coisa começa a ficar interessante, e 7 Desejos passa a mensagem: Seu desejo tem um preço, “a troca equivalente”.

O preço é o pior possível e, mesmo sabendo disso, a protagonista fica em dúvidas se
permanece fazendo seus desejos ou se ela se livra do objeto. Isso desencadeia a ideia
de que as pessoas acabam revelando seu lado mais egoísta perante aquilo que
querem. Mesmo com todas as lições de moral (do certo e errado)de uma vida, pais e amigos, as vontades acabam sendo mais valiosas do que tudo o que a pessoa tem e de todos que amam.

O elenco não conta com Artistas mega conhecidos (e de cachês super altos). Encaro isso como algo positivo, mostrando caras novas (e outras não tão novas) nas telonas; evitando o “vício ” de imagem causado por filmes que estampam figuras extremamente frequentes, causando a sensação de o filme ser muito parecido com algo já visto antes (né, Tom Cruise?)

A protagonista Clare (Joey king) é uma figura que já atuou em filmes e séries e dessa vez dá as caras com o papel principal. A atuação merece ser notada e é fiel a personagem adolescente e desesperançosa proposta no filme, mas que não é marcante ou “forte” a ponto de ficar marcada na memória do público (quem sabe da próxima Mrs. King!).

A trilha sonora não merece uma citação aprofundada, visto que trata-se, novamente, de um clichê. Estamos falando de um conceito de “música padrão” para filmes de terror, onde a trilha parece algo que já escutamos antes, não exibindo quaisquer traços realmente marcantes, como O Exorcista, por exemplo. Não é nem possível considerar como um ponto negativo do filme, já que o mesmo não foi lançado com a proposta de se tornar um ícone do gênero.
A história segue linear, com pequenas surpresas, mas ainda seguindo a fórmula da qual vários filmes do gênero parecem beber nos últimos tempos. A novidade fica por conta da cultura apresentada, ainda que sem profundidade e da mensagem passada ao espectador.
7 Desejos é um filme bastante válido para ser assistido com amigos e companheiros. Com cenas leves, se comparado a filmes de terror teen como Premonição, o filme parece um passeio no parque. Apesar disso, o longa ainda consegue ser melhor que muita coisa do gênero lançada nos últimos anos, dada sua proposta simples e despretensiosa.