Estamos em 2016 e diante do nono filme pertencente ao universo mutante da Marvel. Mas, além dos filmes, você conhece e sabe a enorme importância dos X-Men tanto para os quadrinhos, quanto para diversas outras mídias, e até mesmo para a vida real? Saiba um pouco mais sobre essa grandiosa equipe!

ORIGEM

Antes de nos aprofundarmos no conceito e filosofia por trás dos X-Men, é importante conhecermos os primeiros passos dessa equipe.

O ano era 1963, em uma época onde os maiores sucessos dos quadrinhos ainda estavam trilhando seus primeiros passos, Stan Lee e Jack Kirby decidem então criar uma equipe composta por super-heróis, mas não aqueles já estereotipados e auto-suficientes como os membros dos Vingadores, ou até mesmo os da Liga da Justiça (DC Comics), mas sim uma equipe poderosa que também sofresse com problemas reais diante de toda a sociedade. Eis que então surgem os X-Men, um grupo composto por humanos mutantes (homo sapiens superior ou simlesmente homo superior), que além do seu grande potencial, geram certo receio em todo o resto da população humana (homo sapiens). E era esse o grande diferencial dos novos heróis da Marvel, uma equipe composta por seres mutantes, que além dos super-poderes, eram incompreendidos e excluídos, de certa forma, pela maioria da sociedade.

Mas mesmo com problemas, a equipe sempre se mostrou forte em suas edições. A primeira, lançada em setembro de 1963, tinha uma equipe composta por Ciclope (Scott Summers), Garota Marvel (Jean Grey), Fera (Hank McCoy), Homem de Gelo (Bobby Drake) e Anjo (Warren Kenneth) lutando contra Erik Lehnsherr, mais conhecido como Magneto.

Desde então, o grupo veio conquistando fãs ao longo do tempo, e sem dúvidas se tornou um ícone para a indústria dos quadrinhos, sendo inegável sua grande importância.

x-men-#1

Em meio a tantos arcos, ‘X-Men’ não é um grupo fechado para com os outros títulos da Marvel. Ao longo dos anos os mutantes foram conquistando espaço também em outras histórias, como por exemplo a introdução de alguns mutantes, como Wanda Maximoff/Feiticeira Escarlate e Logan/Wolverine, nos Vingadores, entre vários outros crossovers, histórias e sagas.

CONCEITOS E FILOSOFIA

Deixando um pouco de lado toda parte cartunesca de quadrinhos sobre super-heróis, os X-Men, como já dito anteriormente, retratam muito bem certos problemas da sociedade do mundo real. Mesmo que estejam nas entrelinhas, tais questões ainda estão ali.

Ao longo dos anos diversos personagens de diversas culturas e etnias foram sendo introduzidos no cânone do grupo, que contava, até então, apenas com integrantes americanos. Com a presença de Tempestade (Quênia), Noturno (Alemanha), Wolverine (Canadá), Banshee (Irlanda), Colossus (União Soviética), Solaris (Japão) e muitos outros personagens de diversos outros países e culturas, ao longo do tempo o grupo mostrava cada vez mais seu propósito, importância e diferencial. Nas histórias, nunca importou a etnia, cultura, gostos, crenças, entre outras diferenças, o que realmente sempre contou, foi o bem vencer o mal.

ororo-storm

Deixando heróis, vilões e super-poderes um pouco de lado, a real beleza por trás da equipe está em sua pureza quanto a diversos temas reais e polêmicos que estão inseridos na sociedade do mundo real ao longo dos anos. Em um mundo marcado, em muitos momentos, pela discriminação entre raças, culturas, crenças, sexualidade, entre outros temas, os quadrinhos dos X-Men sempre buscaram abordar temas relacionados aos status das minorias, e com isso provar que todos poderiam e deveriam viver unidos para um bem maior.

Em meio aos diversos desenhos e histórias, que passaram e ainda passam pelas mãos de diversos artistas e roteiristas, ‘X-Men’ é um marco absoluto que mostra e, de certa forma, critica a realidade e seus problemas com total inteligência e criatividade.

ALÉM DOS QUADRINHOS

Durante o passar dos anos, os X-Men não ficaram apenas nos quadrinhos, era hora de vermos nossos heróis em outras mídias. Uma delas, a TV, marcou a vida de muitos, afinal quem não se lembra de ‘X-Men’, série animada que estreou em 1992? Sendo um dos desenhos de maior sucesso e audiência da época, a animação ajudou a aumentar ainda mais a popularidade dos mutantes.

Ainda que a animação focasse em um público relativamente jovem, a mesma manteve a responsabilidade de abordar os temas e ideologias que marcaram o grupo.

Os mutantes também marcaram e dividiram a história do cinema. Em 2000 a Twentieth Century Fox e a Marvel Entertainment nos traziam o primeiro longa-metragem do grupo. O sucesso de ‘X-Men – O Filme’ (Bryan Singer) foi tão grande que mesmo após 16 anos ainda temos filmes que compartilham desse universo.

É inegável que franquia de filmes dos X-Men foi um divisor de águas para o cinema de super-heróis. Contando e adaptando grandes histórias e arcos, os filmes não tiveram medo de levar toda a grandeza do grupo e dos temas abordados pelo mesmo para as telonas. É certo afirmar que ‘X-Men’ consolidou a contínua produção de filmes do gênero. Não digo isso tirando a importância de ‘Batman‘ (1989, Tim Burton), mas pela primeira vez víamos um filme cheio de efeitos especiais que conseguia retratar a realidade de uma forma única que agradava o público, trazendo consigo, mesmo que nas entrelinhas, temas polêmicos presentes no mundo e recorrentes nas HQ’s.

Além de estarem presentes nos quadrinhos, TV e cinema, os X-Men também já estrelaram jogos eletrônicos para diversas plataformas, os quais valem a pena conferir.

CONCLUSÃO

Diante de todo o sucesso do grupo, os X-Men merecem todo prestígio por conseguir, mesmo que de maneira sutil, apresentar temas tão recorrentes. Não sendo apenas mais um simples grupo de super-heróis, ou então mais uma história em quadrinhos, mas sim um título de peso que consegue passar sua mensagem com êxito. Deixar de lado as diferenças e esteriótipos sobre pessoas e culturas, e promover a união e harmonia entre tudo e todos. Valores que os tornam únicos e, realmente, especiais.

x_men_neon_symbol